POR DENTRO DA BNCC: O que é a Base Nacional Comum Curricular?

Começamos o nosso especial com chave de ouro! O reitor do Unifatea Lorena, Prof. Dr. Wellington de Oliveira, nos deu a honra de colaborar com a nossa série sobre a nova Base Nacional Comum Curricular.

Ele esclarece o que é o documento, o que ele define, quais diretrizes determina para a educação básica do Brasil e quais os desafios para implementar essas normas nas escolas.

Um vídeo esclarecedor e que enriquece o debate sobre o tema! Muito obrigado à equipe do UNIFATEA pelo empenho na produção desse vídeo! Agradecemos imensamente, mais uma vez, ao reitor por sua disponibilidade em participar!

Share Button

40790467_2078735805492525_4155792123473428480_n

POR DENTRO DA BNCC

40790467_2078735805492525_4155792123473428480_nVocê já ouviu falar da nova Base Nacional Comum Curricular (BNCC)? Exploraremos esse importante documento, que normatizou mudanças para a educação brasileira e, assim, para a vida escolar do seu filho!

Homologada no ano passado, a BNCC define o conjunto de conhecimentos e habilidades essenciais para todos os estudantes do Brasil. Não há determinação de currículo, mas um norte de quais saberes e competências os alunos devem desenvolver ao longo do ensino básico.

Acompanhe, semanalmente, as nossas publicações e entenda tudo o que estabelece a BNCC. E mais! Veja também como o centro educacional Smart Educ já está aplicando as diretrizes do documento, em harmonia com os nossos valores e com os conceitos mais inovadores na área da educação!

Share Button

Bilinguismo na infância

A escolha da primeira escola seja de educação formal ou contraturno escolar é sempre um assunto delicado! Além da história da instituição, a estrutura e a seleção dos profissionais, muitos pais questionam a eficiência do ensino em si, ainda mais se for diferenciado e cheio de atividades, como é o caso da maioria das escolas bilíngues. Será que apostar nisso ainda na primeira infância favorece o desenvolvimento da criança? Vamos descobrir!

Segundo vários estudos, quanto menor a idade da criança, mais natural será o aprendizado de uma língua estrangeira. Muitos podem achar que a grande quantidade de informação traz dificuldades a fala do pequeno. Mas, na verdade, a criança está apenas se adaptando aos conteúdos e, por isso, uma resposta com desenvoltura pode demorar um pouco mais para aparecer.

É comprovado que desde o nascimento, o nosso cérebro está programado para aprender tais atividades! Há mais de 50 anos, a ala de Psicologia da Universidade McGill, no Canadá, faz testes verbais e não verbais para constatar os benefícios que o ensino bilíngue traz às crianças. Com o passar do tempo e o avanço tecnológico, foi provado cientificamente que todos os bebês nascem com capacidade para falar qualquer língua humana e são capazes de diferenciar sons de todos os idiomas.

O surpreendente é que perto dos 12 meses de vida, a maioria das crianças perde essa capacidade, menos os bebês de famílias bilíngues! Eles mantém a alta atividade neurológicaao final de seu primeiro ano.

Segundo a neurocientista Laura Ann Petitto, da Gallaudet University, essa atividade cria certa “elasticidade cerebral”, e contribui significativamente para o aprendizado de outros idiomas. O exercício constante dos neurônios estimula a memória e coordenação, já que a criança tem o “trabalho” de, a todo o momento, decifrar a língua em que estão conversando ao seu redor e escolher a postura correspondente!

bilingue

Já no Brasil, um estudo do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (USP), descobriu que crianças bilíngues tem maior controle inibitório e com isso conseguiam manter o foco com mais facilidade.

Além das vantagens no processo de aprendizado, há a facilidade de acessar a produção cultural de um país através do seu idioma nativo. No caso do inglês, a língua abre possibilidades de relacionamentos pessoais e profissionais em escala global. Segundo a agência de notícias Associated Press, aproximadamente 66% das crianças no planeta são criadas em ambientes bilíngues, algo mundialmente reconhecido como positivo!

Todos os dados levantados comprovam que enquanto criança, a experiência bilíngue traz diversos benefícios, tanto para o crescimento intelectual quanto para a interação social. Já na vida adulta, é sabido que domínio de uma segunda língua é pré-requisito básico na conquista de bolsas de estudo e cargos de trabalho!

 

Share Button
bilingue

WhatsApp Image 2018-04-12 at 16.03.39-2

Smart Educ realiza a sua 1ª Roda de Discussão sobre Educação

Nesta semana, aconteceu a 1ª Roda de Discussão sobre Educação Smart Educ, com a presença de representantes de escolas públicas e particulares da região. No evento, realizado em uma das unidades de nosso centro educacional, em Lorena, também esteve presente a coordenadora de projetos da Secretaria de Educação da Prefeitura da cidade.

metodologias ativas
Para falar a todos os participantes, convidamos o Professor Doutor Marco Pereira, da Escola de Engenharia de Lorena, da Universidade de São Paulo, a EEL-USP. Além de dar aulas na instituição, Marquinho, como é conhecido, atua em pesquisas na área de Education Engineering, com foco em metodologias de aprendizagem.

Com todo o seu conhecimento e com uma experiência de 35 anos na área da educação, Marco falou sobre o que ele chama de “pedagogia do amor”. Para ele, é preciso ter paixão por educar. Além disso, ensinar demanda entender que é necessário conquistar o coração de cada aluno.

Isso acontece, entre outras coisas, por meio de brincadeiras e identificação pessoal. Para exemplificar, o professor mostrou atividades de imersão que ele realiza com os estudantes nas primeiras semanas de aula. De acordo com ele, esses exercícios ajudam a gerar mais engajamento e a trabalhar competências transversais dos jovens, tais como habilidade de comunicação e relacionamento interpessoal.

WhatsApp Image 2018-04-12 at 16.03.39Na discussão estabelecida no encontro, o público também falou e ressaltou a importância de concentrar-se no ser humano e em suas necessidades, bandeiras já levantadas por Paulo Freire, entre outros educadores. “O objetivo é estimular o aluno a sonhar e a colocar as suas ideias em prática. Não devemos boicotá-lo”, explica Maria Carolina Ferraz, idealizadora e gestora do Smart Educ.

Essa enriquecedora troca de experiências e o debate relevante gerado fizeram com que a nossa 1ª Roda de Discussão sobre Educação fosse muito especial. Reunimos profissionais engajados em melhorar a educação de nosso país. Agradecemos muito a presença de todos nesse feliz encontro, que com certeza foi só o primeiro de muitos!

Educação inovadora e repleta de amor

No Smart Educ, nós também acreditamos que a tarefa de ensinar só pode ser feita com muito amor. Assim, podemos contribuir para o desenvolvimento pessoal, social e cultural de nossos alunos!

Com uma metodologia que se insere no conceito de educação 3.0, trabalhamos com o que há de mais inovador nessa área, acompanhando as transformações constantes do mundo. Utilizamos metodologias ativas, nas quais o professor atua como mediador e o estudante é protagonista e constrói o seu próprio conhecimento.

A elaboração do nosso plano de ensino é baseada na criação de projetos interdisciplinares, que contribuem de maneira direta para o aprendizado das matérias escolares, com melhora de notas, e também para o ganho de competências socioemocionais, como autonomia, autoconfiança, criatividade, liderança, responsabilidade e relacionamento interpessoal.

Esses projetos são implementados por meio de métodos lúdicos e tecnológicos, os quais garantem a atenção e o engajamento de nossos alunos. Eles também se beneficiam de ambientes, como salas de aula e brinquedotecas, especialmente projetados para que se sintam confortáveis, seguros e felizes.

Quer conhecer mais os nossos cursos e métodos, acesse aqui.

 

Share Button